0

18 coisas que toda mulher tem que saber para encarar a menopausa de cabeça erguida!

Coisas que toda mulher tem que saber sobre essa transformação tão importante e marcante em sua vida! 

Coisas-que-toda-mulher-tem-que-saber

 Gosto de lançar um olhar mais ameno e,  ao mesmo tempo,  mais amplo e  holístico sobre a menopausa. Afinal, somos muito mais do que um amontoado de hormônios e células. 

A nossa cultura coloca a menopausa num lugar de inferioridade e desprezo. É como se essa fase da  vida fosse algo vergonhoso e degradante para a mulher.

Apesar dos sintomas que acometem muitas de nós, a menopausa é uma conquista. Sim, uma CONQUISTA! Quantas mulheres, por um motivo ou outro,  não chegaram e nem chegarão à essa altura da vida? Já pensou nisso?

É importante observar que a  medicina continua tratando a menopausa sempre do ponto de vista fisiológico e  focada no fim da produção do estrogênio e no encerramento do ciclo reprodutivo.

Claro que isso é muito importante, pois com a saída de cena do estrogênio, o risco de várias doenças pode aumentar.

Existem coisas que toda mulher tem que saber sobre esse inevitável período da vida. Infelizmente, diversas informações totalmente equivocadas, são transmitidas, erroneamente,  de geração em geração. E, o que é pior, carregadas de preconceito.

Então, a  discriminação muitas vezes camuflada em piadinhas e deboche,  é o reflexo do pensamento colonial de que a mulher serve apenas para reproduzir. 

A ela não é permitido o prazer, pois a sua missão é gerar filhos. E, a partir do momento que o ciclo reprodutivo chega ao fim, que a menopausa se faz presente, a sociedade a ridiculariza e discrimina. Para muitos, a menopausa remete ao envelhecimento,  ao descarte do SER mulher.

E, no Brasil, onde a juventude é idolatrada, e o machismo tem um tom pesado,  o envelhecimento, especialmente,  da mulher torna-se um grande desafio e quase um insulto, um pecado. 

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil será dentro de poucos anos um país de velhos e velhas. E aí? O que vamos fazer com essa montanha de preconceito?

Costumo dizer que envelhecer é um privilégio. Convido você para tentar sentir e enxergar a menopausa com um outro olhar. Afinal, é uma parte inevitável e natural da vida. 

Neste artigo, tentamos passar o máximo de informações possíveis, tais como:  dicas para lidar com os sintomas, terapias alternativas, dentre outras. Um texto gigante. Porém, rico em conteúdo e escrito com muito carinho pra você!

Para ficar mais didático e tranquilo de ler, vamos no estilo de perguntas e respostas, combinado?!

Continue a leitura, a partir de agora você saber coisas que toda mulher tem que saber para enfrentar a menopausa de cabeça erguida.

1) O que é menopausa?

A menopausa é uma fase inevitável na vida da mulher e se concretiza após a última menstruação espontânea. 

Muitas mudanças acontecem e a principal delas e também considerada a mais  mais marcante  é: o corpo feminino deixa de produzir óvulos. Além disso, encerra-se também os ciclos menstruais e,  a produção do estrogênio,  entra em declínio.

O início da menopausa só pode ser considerado após um ano do último fluxo menstrual.  Isso porque durante esse intervalo, ocasionalmente, a mulher ainda pode menstruar.

O período de transição que antecede a menopausa é chamado de climatério ou perimenopausa, representando um estágio muito importante na vida da mulher. Ou seja, a passagem da fase reprodutiva para a não reprodutiva.

De forma lenta e gradativa os hormônios,  estrogênio e progesterona, deixam de ser produzidos. Esse estágio merece atenção especial, pois acontecem diversas transformações no organismo que, muitas vezes, alteram e afetam o estilo e a qualidade de vida.

Essas mudanças, aumentam as chances do aparecimento de diversas doenças, incluindo a osteoporose;  pode acontecer também o agravamento de doenças já existentes.

É muito importante mencionar que,  os sintomas e o acometimento de doenças, varia de mulher para mulher.

2) Coisas que toda mulher tem que saber: Tratamentos

Atualmente,  a medicina disponibiliza alguns tratamentos bem eficazes que possibilitam à mulher enfrentar esse estágio com menos sofrimento.

Contudo, nem todas se adaptam  e acabam optando pelos métodos naturais que as nossas avós também usavam. 

É interessante observar que,  a mulher, mesmo com tantas informações disponíveis sobre esse estágio da vida, na maioria das vezes,  independente da classe social,  escolaridade e titulação, não tem conhecimento sobre as principais mudanças a que é,  ou será submetida.

Talvez, inconscientemente,  ela se recusa a buscar esse tipo de informação,  só tomando a iniciativa,  quando já se depara com os primeiros sintomas.

Não sei se este é o seu caso, querida leitora, mas prepare-se: a partir de agora você vai fazer uma viagem pelo seu corpo.   Você vai saber sobre a famosa e controversa Terapia de Reposição Hormonal e porque nem sempre é o método mais indicado. Então, vamos lá! Continue lendo, você só tem a ganhar!

3) Em qual idade começa a menopausa?

Mais uma das coisas que toda mulher tem que saber e bem na ponta da língua. A menopausa varia de mulher para mulher. Não há uma idade exata. Em média, ocorre entre os 45 e 55 anos;  porém, pode acontecer antes dessa fase, de forma espontânea ou cirúrgica (a chamada menopausa precoce).

A menopausa cirúrgica ocorre após a retirada dos ovários ou do útero. É chamada de menopausa tardia,  quando aparece após os 55 anos. 

Segundo estudos, existem alguns fatores que podem antecipar esse período como,  por exemplo, o hábito de fumar ou a quimioterapia.

Esses fatores diminuem a qualidade de vida e aceleram o declínio do ovário, contribuindo, assim,  para a menopausa  precoce.

4)  Coisa que toda mulher tem que saber: Qual a diferença entre climatério e menopausa?

O climatério refere-se ao período que antecede à menopausa. Como mencionamos, lá no começo, ele representa a passagem da fase reprodutiva para a não reprodutiva. 

Nesse estágio, você pode começar a experimentar alguns sintomas comumente associados à menopausa, como as famosas ondas de calor.

Seu ciclo menstrual pode tornar-se irregular, mas não cessará definitivamente durante a fase de climatério.

Essas mudanças, minha amiga, significam que a menopausa está batendo na porta, isso mesmo, está chegando.

A duração ou a intensidade do fluxo menstrual modifica-se e vai ficando cada vez mais espaçada, até parar. Depois de parar completamente durante 12 meses consecutivos, aí sim, é a menopausa. 

5) Quais são os sintomas provocados ​​pelos níveis reduzidos de estrogênio?

casal-deitado-cama

Cerca de 75 por cento das mulheres sentem ondas de calor durante esse período. São considerados os sintomas mais comuns vivenciados por mulheres na menopausa. 

Os fogachos, como também são conhecidos, podem ocorrer durante o dia ou a noite,  são extremamente desconfortáveis e, num grande numero de mulheres, eles vem acompanhados de muito suor e rubor na face.

É comum as mulheres apresentarem  outros sintomas físicos, comportamentais e psicológicos durante o climatério. Os principais sintomas da menopausa são:

  • Ausência da menstruação
  • Redução no desejo sexual
  • Ondas de calor
  • Insônia
  • Suores noturnos
  • Ânsia de choro
  • Ressecamento vaginal (Secura/falta de lubrificação)
  • Perda da densidade óssea (Osteoporose)
  • Aumento do risco cardiovascular
  • Alterações na distribuição da gordura corporal
  • Depressão

CONSULTAS

São muitas as coisas que toda mulher tem que saber nesse período. As consultas médicas, por exemplo, devem ser feitas, de forma regular, em outras áreas também,  além da ginecologia e mastologia.

A cardiologia é uma das áreas indispensáveis nessa transição. E, se necessário, a  psicologia também.

Quando se trata de depressão e baixa autoestima, a psicologia pode dar o suporte necessário para a superação e aceitação. É importante ressaltar que a psicologia não é auto ajuda.

É uma ciência que lança mão de diversas técnicas e abordagens diferenciadas para auxiliar o ser humano no autoconhecimento, a enfrentar com firmeza e de modo assertivo, a sua luta interior, as suas frustrações, medos e dores.

Portanto, a psicologia está preparada para caminhar com você nessa fase, muitas vezes, tão difícil e repleta de desafios.  

Querida leitora, se estiver muito doloroso pra você atravessar esse “deserto”, não hesite, procure uma psicóloga.

6) Como saber se estou tendo um fogacho?

mulher-ventilador-refrescando-fogacho

Parece uma pergunta boba, mas não é. Esta é mais uma das coisas que toda mulher tem que saber. Durante um fogacho, provavelmente, você  irá sentir a sua temperatura corporal subir,  afetando a metade superior do seu corpo. Em alguns casos, a pele pode ficar vermelha ou, momentaneamente, manchada.

Essa onda de calor pode levar à transpiração, palpitações cardíacas e sensação de tontura. Após o fogacho, você pode sentir frio, mas,  por poucos minutos.

É importante saber que não há regras. Essas ondas de calor podem aparecer apenas uma, ou várias vezes ao dia. Você pode senti-las ao longo de um mês, um ano ou até vários anos. Lembre-se, cada mulher é única. Você é única!

Alguns fatores podem influenciar no aumento da quantidade diária de fogachos, dentre eles, estão:

  • Stress
  • Comida muito picante
  • Estar em lugar quente
  • Excesso de cafeína
  • Consumo de álcool com freqüência

Além destes, o excesso de peso e o tabagismo podem piorar ainda mais  as desconfortáveis ondas de calor.

 Técnicas que podem auxiliar a amenizar os fogachos

  • Fazer exercícios de respiração

Concentrar-se  na respiração profunda durante um fogacho, pode contribuir para não senti-lo de forma muito intensa.

  • Reduzir o stress

Independente da menopausa, o stress crônico, pode fazer um  grande estrago no organismo. Durante o climatéro, isso é potencializado. Acredita-se que o stress contribui muito para aumentar as ondas de calor.

Descubra de que forma você pode controlar e combater os fatores estressantes. Algumas boas opções são: massagens, chás naturais, caminhadas ao ar livre, conversar com pessoas amigas, assistir filmes, etc

  • Usar roupas confortáveis

       Roupas confortáveis podem contribuir também para amenizar as  ondas de calor. As mais recomendadas são as peças de algodão.

  • Refrescar-se

Uma chuveirada na temperatura ambiente também pode contribuir   para reduzir o calor do corpo. Bebidas refrescantes como, por exemplo, suco de abacaxi com hortelã, (delicioso) é uma ótima pedida.

Além disso, na pia do banheiro, você pode molhar a nuca, os pulsos e a testa. É um procedimento simples, mas funciona.

7) Como a menopausa afeta a saúde óssea?

O declínio na produção de estrogênio pode afetar a quantidade de cálcio em seus ossos provocando a diminuição significativa na densidade óssea, levando à osteoporose. Eis uma das mais relevantes coisas que toda mulher tem que saber ao entrar no climatério. 

Muitas mulheres tem um quadro de perda óssea acelerada, logo nos primeiros anos,  após o último período menstrual.

Esta é uma das razões para você fazer consultas e exames periódicos. Além disso, a alimentação rica em vegetais,  frutas e cálcio deve ser rotina na sua mesa.

8) Qual a relação entre doença cardíaca e menopausa?

As condições relacionadas ao coração podem surgir durante a menopausa, pois a redução dos níveis de estrogênio, nesse período, pode impedir o seu corpo de manter as artérias flexíveis,  e comprometer o fluxo sanguíneo.

É importante observar e controlar o seu peso, alimentar de forma adequada, fazer atividade física e, principalmente, não fumar.

Segundo a maioria dos cardiologistas,  quem segue essas recomendações,  pode   reduzir as chances de desenvolver doenças cardíacas.

9) É comum engordar na menopausa?

Alterações nos níveis hormonais podem fazer com que haja ganho de peso.  No entanto, o envelhecimento e o metabolismo mais lento, somado à uma alimentação inadequada e sedentarismo,  também podem contribuir para te deixar acima do peso.

 Lembrando que manter o peso adequado, para muitas pessoas,  é somente uma questão estética. Entretanto, é muito mais do que isso. É uma questão de saúde!

A obesidade, além de gerar desconforto e diminuir a autoestima de algumas mulheres, pode aumentar,  e muito, seu risco de doença cardíaca, diabetes e outras doenças. Portanto, fique de olho no que você come, controle o seu peso e movimente-se! 

10) Terei os mesmos sintomas que minha mãe e a minha irmã tiveram?

Embora a carga genética possa influenciar, os sintomas da menopausa variam de uma mulher para outra, inclusive nas mesmas famílias. São coisas que toda mulher tem que saber para não ficar alimentando mitos.

A idade e a taxa de declínio da função do ovário diferem, enormemente. Isso significa que você precisará administrar sua menopausa,  individualmente. O que funcionou para sua mãe, irmã, tia, ou amiga, pode não funcionar para você.

Fale com o seu(a)  médico (a) se tiver alguma dúvida sobre a menopausa. Ele(a) pode ajudá-la a entender seus sintomas e encontrar maneiras de lidar, de forma mais tranqüila,  elevando a sua qualidade de vida.

11) Quem passou por uma histerectomia tem como saber se está na menopausa?

Se o seu útero foi removido cirurgicamente através de uma histerectomia , você pode não saber que está passando por essa transição, a menos que apresente ondas de calor.

Isso também pode acontecer se você teve uma ablação endometrial e seus ovários não foram removidos. 

Ablação endometrial é a remoção do revestimento do útero como tratamento para controlar a menstruação anormal e excessiva.

Se você não está tendo nenhum sintoma, um exame de sangue pode determinar se seus ovários ainda estão funcionando. 

Esse exame mostra também o seu nível de estrogênio. Isso é muito positivo pois se você estiver em risco de osteoporose, quanto mais cedo o diagnóstico, melhor.

12) A reposição hormonal é obrigatória para todas as mulheres?

Não. Existem muitas dúvidas, mitos e equívocos em relação à Terapia de Reposição Hormonal (TRP).  Geralmente, é indicada para mulheres que apresentam os sintomas mais intensos relacionados à falta de estrogênio.

Já falamos deles no começo desse artigo, ou seja, ondas de calor, insônia, secura vaginal, sudorese noturna, etc

Amiga leitora, você está pensando que todas as mulheres passam por esse perrengue todo, esse monte de sintomas? Não, não!  Muitas são as chamadas felizardas.

Elas não sentem nenhuma alteração que comprometa o seu bem estar;  às vezes, sentem apenas 1(um) sintoma. Neste caso, faz tratamento específico e direcionado.

Mas, voltando à reposição hormonal, outras vantagens que ela oferece,  além de prevenir  a osteoporose, inclui:  melhora da elasticidade da pele e mucosa;  diminui a acne e deixa os cabelos mais volumosos.

Alerta: A terapia de reposição hormonal é contra indicada para mulheres com histórico de trombose ou tendência de câncer de mama. O risco do aparecimento dessas doenças pode aumentar com a reposição do estrogênio.

13) Durante o tratamento podem ocorrer sangramentos?

Sim. A Terapia de Reposição Hormonal precisa ser ajustada à cada mulher. Muitas vezes quando acontecem sangramentos, pode ser um efeito colateral do medicamento. Os sangramentos tendem a diminuir com o tempo de uso do hormônio.

Quando se fala em reposição hormonal é importante saber que existem diferentes  tipos de  tratamentos.

Por exemplo, quando a mulher tem útero, os hormônios usados são: estrogênio e progesterona. Esta dupla de hormônios protege contra câncer de endométrio.

Já para as mulheres que, por alguma condição de saúde, precisaram retirar o útero, somente o estrogênio é utilizado na reposição.

14) Como é feito o tratamento?

mulher-comprimido-na-mão

O tratamento para varia de acordo com as peculiaridades de  cada mulher. Primeiramente, são solicitados exames e avaliação das condições de saúde. Somente depois é escolhido o tratamento adequado.

Existem diversos métodos de tratamento e são utilizados comprimidos, géis ou adesivos para reposição de estrogênio

Em alguns casos, dependendo dos sintomas e das condições físicas da mulher, repõe-se outros hormônios também.

Os comprimidos para consumo diário são os mais recomendados, pois contém progesterona e hormônio esteróide feminino para proteger o útero.

15) A reposição hormonal pode provocar doenças do coração?

Está aí,  mais uma grande preocupação da mulher quando é preciso fazer o tratamento com hormônios. A reposição hormonal e os seus efeitos é uma das coisas que toda mulher tem que saber, trocar ideias com amigas e médicos. É fundamental estar bem informada.

Segundo especialistas, se a mulher tem mais chances,  ou não, de ser acometida por alguma doença do coração, depende de quando ela dá início ao tratamento.

Se for no começo do climatério, o estrogênio ajuda a diminuir a chance de doenças cardiovasculares

Entretanto,  o risco vai aumentar se o tratamento começar cinco ou sete anos depois da última menstruação.

Para você entender melhor a importância do estrogênio,  vou te fazer uma perguntinha muito simples. Você já percebeu que o homem  sofre mais infarto e acidente vascular cerebral (também conhecido como derrame) do que nós mulheres?

Pois é, isso acontece exatamente porque o homem não tem o estrogênio, esse hormônio que ajuda a evitar doenças cardiovasculares.

O fim da produção do estrogênio, tende a intensificar o depósito de gordura em artérias e veias, deixando a mulher mais suscetível às doenças do coração.

Querida leitora, você sabia que a principal causa de morte da mulher na pós-menopausa são as doenças cardiovasculares? E, como acabamos de explicar logo acima, não é por acaso. A falta do estrogênio faz toda a diferença nessa triste estatística!

Por isso é muito importante a prática de atividade física regular, uma alimentação equilibrada e com menos produtos industrializados. Só assim você vai manter o seu coração saudável sem a ajuda do estrogênio.

16) O tratamento de reposição hormonal faz engordar?

Muitas mulheres afirmam que engordaram depois que deram início à terapia de reposição hormonal.

Segundo especialistas, dependendo do tipo de reposição,  pode haver um inchaço durante o tratamento. Contudo, não ocorre o ganho calórico.

A falta do estrogênio, aumenta o risco de acúmulo de gordura na barriga, como o que acontece nos homens.  Esse acúmulo de gordura aumenta o risco de doenças cardiovasculares, colesterol e diabetes.

17) Existem tratamentos naturais para combater os  sintomas da menopausa?

chá-folha-amora

Existem sim. Você viu que nem sempre a reposição hormonal é o tratamento mais indicado. Algumas condições médicas podem impedir que você faça a terapia hormonal,  com segurança,   ou você pode optar por não fazer  por suas próprias razões pessoais. 

Dentre as coisas que toda mulher tem que saber, inclui-se: Não existe uma receita mágica. Cada mulher precisa descobrir a melhor maneira de enfrentar essas  transformações.  Mudanças no seu estilo de vida podem ajudá-la a aliviar muitos dos seus sintomas sem necessidade de intervenção hormonal.

As mudanças no estilo de vida podem incluir:

  • Perder peso

  • Evitar alimentos que agravam os sintomas

  • Praticar atividade física

  • Tentar lançar um outro olhar sobre a vida (otimismo, gratidão)

Quanto aos tratamentos alternativos, existem diversas opções, tais como:  terapias à base de ervas, acupuntura, auto-hipnose, alimentação equilibrada e balanceada, como a que é ensinada no livro: Sobrevivendo a menopausa”.

Nos casos de sintomas mais intensos,  certos antidepressivos de baixa dosagem e outros medicamentos podem ser úteis, inclusive na diminuição de ondas de calor.

Atenção: Só tome medicamentos sob prescrição médica. 

A automedicação é perigosa. Além disso, mesmo que seja de baixa dosagem, não quer dizer que aquele que oferece resultados satisfatórios à sua amiga, é o mais indicado para você.

Quanto ao ressecamento e secura vaginal, você pode encontrar, facilmente,  e sem receitas,  cremes de estrogênio,  lubrificantes  ou outros produtos que ajudem a amenizar o problema.

18) Coisas que toda mulher tem que saber para enfrentar a menopausa de cabeça erguida

tres-mulheres-menopausa-sorrindo

Amiga leitora, se você leu até aqui, é porque gosta de estar bem informada. Atualmente,  as pessoas consideram longo um texto com meia dúzia de palavras. Bom, eu já me deleito com um texto bem escrito, um bom conteúdo…

Olha, se você está vivenciando essa transição, PARABÉNS! Nunca se esqueça que você é uma privilegiada.  Erga a cabeça, você não perde a sua feminilidade, a sua essência mulher. A menopausa é uma benção!

Que tal aproveitar para resgatar os seus sonhos, fazer novas amizades,  e trocar idéias com mulheres que estão vivenciando essa desafiadora experiencia?!  Ora, sua linda, você não está morrendo. Você está nascendo para um mundo novo

Comemore, celebre, faça uma exaltação a vida e aceite a mudança. Afinal,  você está começando um novo ciclo, uma nova etapa. 

Cuide bem de você, dos seus sintomas, tenha uma atitude positiva e vá em frente! Está nascendo uma NOVA MULHER!

Um abraço refrescante pra você! 🙂

Em breve, artigo sobre a menopausa do ponto de vista emocional,  psicológico, social, a influência da nossa cultura, etc… Aguarde!

Por Redação

Gostou? Curta e Compartilhe!! 🙂
(Visited 124 times, 1 visits today)

Comentários

Divina Albuquerque

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *